Central de Atendimento

Problemas visuais na retina; Graves problemas vasculares (varizes em fase avançada) e cardiovasculares em geral; Mulheres grávidas; Formas graves de hérnia; Prótese de quadril e joelho; Epilepsia; Uso de placas, parafusos e estruturas de osteossíntese em geral, "marca-passo" ou qualquer outro aparelho elétrico interno; Tumores e processos metastáticos; Estar particularmente cansado, indisposto ou excessivamente estressado; Estados inflamatórios causado spor traumas de natureza músculo-esquelético; - Problemas nas cordas vocais; - Uso de diafragmas contra conceptivos; - Não utilizar após uma operação cirúrgica (pelo menos dois meses), situação pós-traumática ou doença genérica transitória como cefaleia, lombalgia, etc., até que desapareçam os sintomas; - Intolerância psicológica ao estímulo vibratório.
Além de trabalhar os músculos da perna, trabalha o peitoral, deltoide, bíceps e tríceps; Como os pés ficam sempre em contato com o aparelho as chances de lesões nos joelhos e nos tornozelos são mínimas; A sensação de esforço é menor quando comparado à esteira; Há menor pressão sob os quadris e coluna; Pode-se variar o treino ao controlar a intensidade, foca o exercício no quadríceps ao soltar a barra e fazer o exercício no modo reverso, levando os pedais para trás. Por todos estes benefícios pode-se dizer que o elíptico é mais indicado para quem está muito acima do peso, que não tenha um bom condicionamento físico e para os que estão recuperando-se uma alguma lesão, mas não querem deixar de malhar.
Estudos asseguram e a prática comprova que a musculação acelera o metabolismo do seu praticante, favorecendo a queima de gorduras pelo organismo. Apesar de na musculação você não queimar gordura como fonte de energia, durante o esforço (onde se usa o fósforo, a creatina e a glicose anaeróbia), existe um processo chamado gliconeogênese, que é a utilização de gordura para repor as calorias perdidas durante o treino. Com o metabolismo acelerado, você continua queimando a gordura por muito tempo depois da atividade física. O melhor que se tem a fazer é associar a dieta aos exercícios aeróbios, a musculação e aos alongamentos, num programa adequado as suas necessidades, biótipo e condicionamento físico.
Pesquisas comprovam que hoje o ideal é fazer 30 minutos diariamente de atividade física, para poder ter uma vida mais saudável e com mais qualidade de vida.
O objetivo desses equipamentos é melhorar o condicionamento cardiovascular. Todos possuem programas específicos ou você poderá optar pela regulagem personalizada. ESTEIRA É o mais funcional dos equipamentos, pois é o aparelho que permite o exercício que mais se aproxima das nossas atividades diárias – caminhar / correr. Possibilita o aumento da velocidade e da inclinação, aumentando a dificuldade de execução do exercício. BICICLETA Tão boa quanto a esteira para melhorar o condicionamento cardiovascular com a diferença que não simula uma atividade realizada diariamente pela maioria das pessoas. É considerado um exercício de baixo impacto, indicado para gestantes, idosos, pessoas acima do peso e com problemas de coluna. Contudo aqui também prevalece o bom senso, gestantes de risco e indivíduos obesos que não se adaptam ao selim não devem utilizá-la. A bicicleta permite o aumento da carga, simulando subidas. Apresenta um controle de RPM (rotações por minuto) para facilitar o controle da velocidade. É desaconselhável pedalar com cargas muito leves, quando a bicicleta “leva o seu pé”. ELÍPTICO É o menos funcional dos equipamentos, uma vez que no nosso dia a dia não realizamos esse tipo de movimento. É o equipamento com o menor risco de leões. O movimento é como se estivéssemos flutuando. Semelhante à bicicleta é possível controlar a sobrecarga e as rotações executadas. Se você não está nos grupos contra indicados, se não está fazendo um treinamento específico e melhor é aquele que você se sente bem!!! Lembre-se que o melhor da atividade física é seu bem estar!